Anatomia de uma Fotomontagem

"How fast do you want to go?

Passo 1: pegar numa fotografia antiga (e aborrecida!), tirada no Marvão

Marvão, Portugal

Passo 2: atirá-la para dentro do Photoshop e "maltratar" os píxeis até lhe espremermos a velocidade!*

Como diria o apresentador do podcast This Week in PhotoFrederick Van Johnson, “pixels were born to be punished!” (“os píxeis foram feitos para serem castigados!”)

*(neste caso, motion blur, noise, contrast, saturation)

velocidade na estrada

Passo 3: fotografar um biker com atitude

Ducati biker

Passo 4: juntar um com o outro e… BAM!

fotomontagem motociclista

Fotografia Profissional

 

História de terror para fotógrafos.

Há uns anos, em plena sessão de retrato para um cliente comercial, ouvi um estalido no interior da máquina e fiquei com a sensação de que qualquer coisa se tinha soltado. O obturador parecia continuar a funcionar, mas nada de imagem, alguma coisa de muito errado se tinha passado!

Um componente no interior da minha Canon 5D, o espelho, soltara-se, ficando literalmente a chocalhar lá dentro! Retirei a objectiva com cuidado e ele caiu-me na mão! Não altura só consegui pensar “isto não pode ser bom…"

Com um sorriso nos lábios mas a tremer por dentro, pedi um minuto ao grupo que estava a fotografar. ("Fiquei sem máquina, fiquei sem máquina…! Bem, ninguém aqui quer saber, pensas nisso depois!")

Fui à mochila buscar a máquina suplente que levo sempre et voilà, a sessão continuou.

Vim a saber depois que se tratava de um defeito de fabrico que afectou aquela série e que a Canon já tinha reconhecido o problema e estava a fazer as reparações sem custos. Ufa!

“Mas porque é que não tens um seguro para o equipamento fotográfico, Gonçalo?"

Porque, pasmem, não há nenhuma companhia em Portugal que o faça! (Se eu estiver enganado, por favor avisem-me)

Ainda hoje o meu cliente não sabe que houve um problema sério durante esta sessão. O que ele sabe é que tudo resultou e que ficou com as fotos de que precisava.

Ser fotógrafo profissional não é só saber fazer boas imagens, é saber resolver problemas. Melhor ainda, antecipá-los. Não é barato ter duas máquinas em vez de uma, mas pode salvar-nos a pele!

 

Raquel


Uma das coisas que faz dos atletas modelos especiais é capacidade que têm de trazer intensidade a uma imagem.
Além do corpo escultural (isso é comum a muitos outros modelos), conseguem poses de inacreditável elegância e força, com uma naturalidade que me faz duvidar que sejamos sequer da mesma espécie...

E, se for preciso afinar a expressão, basta pedir-lhes que se lembrem da última sessão de treinos, ou do esforço no final de uma prova… o olhar fixa-se e a determinação fica estampada no rosto!

Não é por acaso que muitas das vedetas do desporto se tornam também modelos fotográficos, vejam-se os casos do Cristiano Ronaldo e do Nelson Évora.

A Raquel foi ginasta de alta competição e, embora já tenha deixado as provas e esteja “enferrujada” (nas palavras dela!), continua a parecer absolutamente “sobre-humana” a qualquer pessoa que não consiga tocar com o nariz na ponta dos pés!

Just a perfect day...

Gonçalo Barriga surf Carcavelos.jpg

Eu sei, eu sei… devia estar a fotografar o surf, a acção, foi para isso que vim até Carcavelos no dia da competição Capítulo Perfeito by Billabong… mas já viram este céu e este mar?! (em minha defesa, daquele pico estão a sair dois riders, um para a esquerda e outro para a direita!)

 E esta é a vantagem de estar a fotografar por minha conta, posso mudar os planos sempre que me apetece! ;) 

Bruno

Às vezes é muito mais fácil fotografar alguém quando juntamos alguma coisa que faça parte da sua vida. Como uma mota.

O Bruno é um grande chef e já o fotografei várias vezes na cozinha, mas quando ele me disse que guiava uma Ducati branca, linda… bem, sabem como é… tinha de acontecer!

Já agora, ele trabalha no QB Essence, em Oeiras. Se ainda não conhecem, não sabem o que estão a perder! ;) 

Backup!

Marrocos.jpg

Conhecem a expressão "um ficheiro só existe se existir em dois locais”?

Vá lá pessoal, toca a duplicar os vosso preciosos ficheiros para um segundo disco…

 

"Mas os discos são caros…"

A sério?!

E quanto é que custou a viagem de sonho que fizeram? Vão voltar à Índia nos próximos tempos?…

Já para não falar das fotos do 10º aniversário do vosso filho, vão poder repeti-las se as perderem?

 

O processo é simples:

1. regresso a casa

2. descarregar as fotos para o computador (não esperem até à semana que vem, façam-no agora!)

3. copiar as fotos para um disco externo

4. formatar o cartão na máquina (depois de verificar e voltar a verificar se estão gravados no disco)

 

Isto é o mínimo dos mínimos.

 

Se quiserem ser ainda mais cuidadosos, ainda podem:

5. copiar para para um segundo disco externo e guardá-lo em casa de um amigo (ou usar um serviço de backup online, como o Carbonite ou Backblaze)

 

Dêem-me tempo para respirar!

 

Na fotografia, a criatividade está a ser impulsionada pela tecnologia, ou, pelo contrário a ser limitada pelo seu rápido crescimento?

É indiscutível que conseguimos fazer muito mais com todas as novas ferramentas e as suas capacidades melhoradas (a sensibilidade e qualidade de imagem dos novos sensores, por exemplo, está a abrir todo um novo mundo de possibilidades), mas será que conseguimos acompanhar este ritmo e continuar a produzir trabalho significativo e bem estruturado? No limite, será que conseguimos produzir seja o que for, se nos quisermos manter a par de todas as novidades de equipamento? Sem falar nas dúzias de programas de edição de imagem e milhões de filtros disponíveis!

Eu sou todo a favor da evolução e adoro ter o poder de fotografar em condições praticamente sem luz, live view, vídeo, 10 frames/seg, etc, etc, etc… mas assim que me começo a habituar a uma máquina, sai logo outra que supostamente a torna obsoleta!

A arte precisa da ajuda de ferramentas para se materializar, claro, mas os artistas e criativos precisam de amadurecer (pelo menos um pouco) com essas ferramentas antes de mudar. Caso contrário, parece que nos estão a enfiar fast food pela goela abaixo!

A minha outra embirração é a forma displicente como consumimos arte na net (sim, eu também estou incluído!)

Um fotógrafo que eu admiro disse recentemente que nós estamos a desenvolver a capacidade de rapidamente olhar e processar visualmente uma grande quantidade de imagens, enquanto as "folheamos" na net. Permitam-me discordar… eu acho que sim, que nós olhamos para um monte de imagens todos os dias (redes sociais, revistas online, sites de fotografia…), mas será que verdadeiramente as vemos? Não. Não no sentido de lhes darmos mais atenção do que "giro", "hum", "fixe", "boa"… estamos sempre com uma espécie de pressa em passar para a imagem seguinte. Talvez porque elas são praticamente infinitas na net! E talvez isso nos esteja a reduzir a capacidade de distinguir boa fotografia, de fotografia… hum… como direi… "menos boa"?

Suponho que seja esta uma das razões porque eu gosto tanto de fotos impressas. Há tempo.

 

ASP Cascais Billabong Pro 2013 - Skeleton Sea

João Parrinha, um dos mentores do Skeleton Sea

Grandes ondas na praia de Carcavelos e uma vitória espectacular do brasileiro Jadson André! (publicarei fotos de surf em breve).

Mas houve outra coisa neste evento que me impressionou verdadeiramente… enquanto os atletas bombavam na água, foi montada uma exposição de arte na areia.

Skeleton Sea é um projecto artístico com uma mensagem clara: manter o oceano limpo! São surfistas e artistas que se dedicam a transformar lixo da praia em esculturas incríveis.

Voltei com algumas boas fotos de acção (além de um escaldão), mas a descoberta deste projecto foi o ponto alto do dia!

Eu vou mantê-los debaixo de olho e vocês, se gostam de arte, deviam fazer mesmo.

-----------

Awesome waves at Carcavelos beach, with a huge victory by brazilian surfer Jadson Andre! (I’ll post some action photos soon).

But there was something else at the event that really impressed me… as the riders dropped, pumped and aired in the water, an art exhibition was set up on the sand.

Skeleton Sea is an art project with a very distinct message: keep the ocean clean! They are surfers and artists who set out to turn regular beach trash into amazing sculptures.

I came back with some nice action shots (and a sunburn), but discovering this project was what made my day!

I´m going to keep an eye on them and, if you love art, so should you.

 

Plymouth 1933

Plymouth 1933 - final images

Plymouth 1933 - behind the scenes

A história começou há muitos anos, quando o Amândio (orgulhoso proprietário desta maravilha reluzente) comprou um monte de sucata que outrora tinha sido um Plymouth de 1933.

Passou anos a reunir e construir pacientemente os componentes até conseguir reconstruir completamente o carro. E quando digo reconstruir, é isso mesmo! Tudo, desde o motor até ao tecido dos assentos teve de ser feito de raíz peça a peça!

Podem imaginar portanto o valor que este veículo tem para ele...

Quando ouvi isto, sabia que tinha de os fotografar juntos!

Acontece que tinha comigo um fato da Maria Gonzaga Guarda Roupa que achei que transformaria o Amândio num distinto cavalheiro dos anos 30… e foi exactamente isso que aconteceu!

Além de ser uma pessoa impecável, ele revelou-se um modelo incrível! Divertimo-nos imenso na sessão, mas sobretudo, acho que o resultado é um tributo justo ao seu trabalho incrível.

--------------

The story started many years ago when Amândio (the proud owner of this shiny beauty of a car) bought a pile of junk that once was a 1933 Plymouth.

Amândio spent years patiently gathering and building the components until he was able to completely rebuild the car. And I do mean rebuild! Everything, from the engine to the fabric of the seats had to be reconstructed piece by piece!

So you can imagine what this vehicle is worth to him…

When I heard this, I new I had to photograph them together!

It so happened that I had a costume from Maria Gonzaga Wardrobe with me that I thought would turn Amândio into a 30's gentleman… and it did!

Besides being a great guy, he turned out to be a great model! We had a lot of fun doing this shoot, but most importantly, I think the result is a fair tribute to his incredible work.